Academia Mato-Grossense de Ciências Contábeis

 

A Dra. Lúcia Fernanda de Carvalho, professora da disciplina de Marketing Profissional do Curso de Ciências Contábeis da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) convidou o Presidente da Academia Mato-Grossense de Ciências Contábeis (AMACIC), Contador Ivan Echeverria, para realizar um bate-papo com seus alunos em especial do primeiro e do quarto semestre do curso considerando estarmos vivenciando um momento de transformações na sociedade numa velocidade difícil de acompanhar.
O principal objetivo se referia em apresentar experiências de profissionais com vistas ao conhecimento da profissão escolhida, pois a atual geração precisa ter preparação para produzir e evoluir com motivação e inspiração no ambiente atual. Isto seria para conhecer um pouco mais sobre Contadores atuantes na sociedade local, sua trajetória de vida, derrotas e vitórias, com vistas a sentirem orgulhosos pela carreira escolhida, motivando-os para seguir em frente, persistir, inovar e ter sucesso profissional.
Para tanto o Acadêmico Ivan Echeverria desenvolveu sua palestra – além de seu conhecimento pessoal – sobre os “Fragmentos da História da Contabilidade em Mato Grosso” tendo por referências as obras: I – Resgate da Memória Contábil nos Estados, disponível no sitio do Conselho Federal de Contabilidade; II – Aecim Tocantins: da Contabilidade à Vida Pública, autoria de Ivan Echeverria; III – Coletânea: Conceitos, Frases e Pensamentos, autoria de Aecim Tocantins. Também em suas palavras iniciais agradeceu ao convite a ele feito, informando estar presente em todo chamamento da UFMT, pois o seu curso de Ciências Contábeis foi nessa Universidade, onde foi Professor contratado e substituto por quatro anos.
A apresentação objetivou contribuir para a reflexão do papel da Contabilidade em Mato Grosso, contemplando o estímulo à pesquisa sobre a História da Contabilidade e sua importância como desenvolvimento do Estado, resgatando a memória Contábil e a sua evolução, bem como provocando nos profissionais a reflexão sobre a importância e a valorização da profissão do Contador.
Como importantes e valorosos atuantes no passado da profissão contábil foram apresentadas as biografias dos Guarda-Livros Severiano Benedito de Almeida e Clovis Sabo de Oliveira, ambos são Patronos de Cadeiras na AMACIC. Para o saudoso Aecim Tocantins sempre devemos prestar homenagens aos autênticos e inteligentes autodidatas, conhecidos, então, como guarda-livros e, além dos dois acima citados, declinou os nomes dos seguintes profissionais: Hildebrando de Mattos, Sylvio de Carvalho, Antônio Gomes Pedroso, Antônio Ribeiro Bastos, Gabriel Lopes Pereira, Manoel Miraglia, Alencastro Maria Alves, Joaquim Rebelo, Silvino Leite de Arruda, Clarice Freire de Lima, Antônio Pinto de Figueiredo, Augusto Osário de Almeida, Lourival Nunes de Barros, Quintino Tomas da Silva, Henrique Praxedes Honorato Rodrigues, Maria Alzira Alderett Nunes Dias, José Leite de Moraes, Afonso Pinto Duarte, Aída Scarselli, Dídimo da Gama Barros, Auribela Salies Albuquerque, Clóvis Hugueney, Mário Leite Vidal e Manoel Ramos Lino.
Foi apresentado um Livro Diário com lançamentos de Contabilidade manuscritos, passando para os efetuados em máquinas de escrever, depois mecanizados, a seguir computadorizados e atualmente com o Sistema Público de Escrituração Digital (SPED). Um breve relato sobre o Imposto de Renda da Pessoa Física, com a apresentação do modelo original e seu desenvolvimento até o sistema atual foi objeto de interesse dos alunos.
A primeira organização de profissionais da Contabilidade foi criada em Mato Grosso na data de 16 de setembro de 1937, sob a denominação de SYNDICATO DOS CONTADORES E GUARDA-LIVROS DE CUIABÁ. Era presidente Manoel Pereira Cuiabano e Secretária Clarice Freire de Lima, com os membros do Conselho Fiscal: Acyndino Pinto Brasil, Deogracias Molina e Alencastro Maria Alves. A partir de 23 de dezembro de 1998, houve a nova denominação: Sindicato dos Profissionais da Contabilidade de Mato Grosso – SINCON.
Os trabalhos iniciais do Conselho Regional de Contabilidade de Mato Grosso (CRCMT) se deram em 11 de setembro de 1947, sendo realizada a posse solene dos Conselheiros em 27 de novembro de 1947, quando foi houve os preparativos para o início das atividades. O Secretário do SINCON, Contabilista Severiano Benedito de Almeida foi quem deu a posse ao primeiro presidente, Contador Aecim Tocantins.
Ponto alto para a Profissão Contábil, capitaneado pelo Conselho Regional foi a realização do XII CONGRESSO BRASILEIRO DE CONTABILIDADE na gestão da Contadora LUZIA GUIMARÃES, no ano de 1988. Neste ponto se discorreu sobre as atividades da emérita Professora, dirigente do Departamento de Ciências Contábeis, Reitora da Universidade Federal de Mato Grosso e do Centro Universitário Candido Rondon.
De significativa importância para a classe contábil foi a realização da 1ª Convenção Mato-Grossense de Contabilidade, com a presença do Presidente do CFC, Contador IVAN CARLOS GATTI, da Reitora da UFMT, Contadora e Mestre em Contabilidade LUZIA GUIMARÃES, do ex-presidente do Conselho Regional de Contabilidade (CRCMT) Contador AECIM TOCANTINS, Contadores e Universitários de Ciências Contábeis, na gestão da Presidente do CRCMT, Contadora e Mestre ACY CASTRILLON FERREIRA. Esta foi funcionária da Secretaria da Fazenda do Estado de Mato Grosso, sendo ela hoje Acadêmica na Cadeira nº 20, da AMACIC.
Sob a denominação de Associação das Empresas de Serviços Contábeis de Cuiabá e Várzea Grande foi fundada aos 3 dias de abril de 1991, nesta cidade de Cuiabá, Mato Grosso, onde tem sede e foro, com prazo de duração indeterminado, uma associação civil, sem fins lucrativos denominada SESCON, cuja denominação, a partir de 7 de dezembro de 1993, passou ser Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis, Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas do Estado de Mato Grosso – SESCON-MT.

Diretor e Acadêmico Ney Mussa de Moraes, Professora Lúcia Fernanda de Carvalho, Acadêmico e Presidente da AMACIC, Contador Ivan Echeverria, Professor e Acadêmico Benedito Albuquerque da Silva.

 

A Academia Mato-Grossense de Ciências Contábeis, também denominada AMACIC, fundada no dia 30 de outubro de 2015, em Cuiabá, é uma associação civil de profissionais da área contábil, de abrangência em todo o Estado de Mato Grosso, pessoa jurídica de direito privado, de fins não econômicos, de prazo indeterminado.

Foram apresentados para os universitários os objetivos da AMACIC: a) promover, divulgar, valorizar e incentivar o desenvolvimento e estímulo ao conhecimento filosófico, científico e tecnológico das Ciências Contábeis; b) preservar a história e a memória de todos aqueles que contribuíram para o aprimoramento das Ciências Contábeis, prioritariamente em Mato Grosso, buscando o reconhecimento e homenagem aos profissionais importantes do passado e do presente; c) desenvolver, fomentar, realizar ou participar de projetos e eventos, como exposições ou quaisquer outras iniciativas que tenham por escopo desenvolver ou divulgar os procedimentos técnicos e culturais visando às atualizações dos profissionais da área contábil; d) promover concursos sobre temas relacionados à aplicação das Ciências Contábeis; e) celebrar convênios, contratos e intercâmbios com diversas entidades com vistas ao aprimoramento e desenvolvimento de suas atividades e das Ciências Contábeis; f) publicar revistas e informativos de suas atividades, bem como obras relacionadas à aplicação das Ciências Contábeis; g) realizar e incentivar a pesquisa e a produção científica na área das Ciências Contábeis, podendo promover sua publicação; h) prestar serviços nos campos de atuação previstos neste estatuto, podendo publicar obras; i) auxiliar ou prestar serviços nos campos de divulgação institucional, planejamento, administração e realização de eventos, podendo, inclusive, participar de certames licitatórios para a realização, montagem, logística, administração, locação e cessão de espaços; j) estimular a participação de seus membros em congressos, convenções e outros encontros de profissionais da Contabilidade, tanto no âmbito estadual como nacional e internacional; k) colaborar com as autoridades educacionais do estado de Mato Grosso visando ao aperfeiçoamento do ensino contábil; l) estimular o aperfeiçoamento técnico-cultural dos profissionais da Contabilidade; m) promover o desenvolvimento das Ciências Contábeis; n) homenagear profissionais da Contabilidade renomados, nacionais ou não.

O encerramento se deu com o “DECÁLOGO DO CONTADOR AECIM TOCANTINS”:

1º – Eu os conclamo a meditarem sobre a responsabilidade que, ora, assumem perante a sociedade ao receberem o diploma legal de Contador, que lhes confere ao mais amplo direito ao exercício de uma das mais importantes profissões. Exercê-la com eficiência, honestidade e dedicação, eis a obrigação do profissional.

2º – A Auditoria deve ser considerada como um sistema de proteção das empresas e do poder público, funcionando o Contador neste campo como veículo de garantia, com altíssima expressão social. A especialização em tal ramo é para o Contador o ponto mais elevado que ele pode alcançar porque para tal função necessita de um sistema de conhecimentos de grande relevância e significado.

3º – O contabilista, nos dias atuais, deixou de ser simples anotador dos fatos administrativos. A sua função bem pode ser equiparada a do médico. Se este prevê e cura os males do corpo, aquele prevê os males da administração, ensina o administrador o remédio de que a situação carece e, por fim, registra o enfraquecimento, a morte, ou o florescimento da administração.

4º – A contabilidade é uma ciência que dia a dia mais se engrandece, mais se torna útil e indispensável ao processo das atividades públicas e privadas. A boa administração depende da boa contabilidade.

5º – Devem ainda, e porque não dizer, constituir obrigação sagrada dos profissionais, prestigiarem os órgãos representativos de sua classe por todos os meios, admirar e ressaltar os trabalhos dos líderes e dos estudiosos da classe, não se esquecendo de cultuar a memória daqueles que, em vida, muito fizeram pela profissão.

6º – A contabilidade é uma ciência concreta de aplicação imediata: só a teoria seria quase inútil ao profissional, assim como só a prática seria incompleta. É preciso que o Contador conheça a fundo a teoria, os princípios sistematizados da contabilidade, mas tenha, ao mesmo tempo, conhecimento de experiência, isto é, seja senhor da prática iluminada pela teoria, sem o que ele não será digno daquele nome.

7º – É grande a responsabilidade dos que mourejam nas Ciências Contábeis. O seu exercício deve ser feito dentro dos mais rígidos princípios de moralidade e da verdade. De nada valerá ao homem a riqueza material se a sua consciência estiver sempre perturbada pelos seus atos de indignidade. Jamais devemos trocar a pobreza honesta pela riqueza desonesta.

8º – Nas várias incursões da minha vida pública, jamais abandonei a minha profissão, muito pelo contrário, vali-me das oportunidades que me ofereceram para enaltecê-la, prestigiá-la e solidificá-la na importância que ela representa na vida pública e na iniciativa privada. Foi, sem dúvida alguma, dos seus conhecimentos que me recorri, quando do desempenho das funções públicas a que fui chamado para exercer.

9º – Não me canso de proclamar que devo à profissão contábil todos os encargos e distinções com que me agraciaram ao longo da minha vida pública, vez que os consegui graças ao respeito que mantive aos seus rígidos princípios.

10º – Procurei exercer a profissão com entusiasmo, dedicação e alto apreço, dela fazendo um sacerdócio. A ela devo o sucesso da vida minha particular e pública. Em todas as funções exercidas destaquei sempre com orgulho a minha profissão contábil.