Academia Mato-Grossense de Ciências Contábeis

Em primeiro lugar quero agradecer a Deus por permitir estar presente nesta solenidade e ter a oportunidade de ser um Acadêmico. Não cai uma folha de uma arvore se assim Deus não permitir.

Cumprimento o presidente da AMACIC, o contador Ivan Echeverria e em seu nome toda a mesa diretiva.

Em particular cumprimento a acadêmica Sílvia Cavalcante e em seu nome todas as Acadêmicas.

Ainda em particular cumprimento o acadêmico Evandro Benedito e em seu todos os Acadêmicos.

Cumprimento ainda todos os Profissionais de Contabilidade e em especial todos os familiares dos Patronos e dos Acadêmicos aqui presentes.

Não posso deixar de fazer alguns agradecimentos:

Agradeço de coração a minha querida esposa Fátima Aparecida de Melo  e meu querido filho Luiz Neto Gonçalves que veio de Pontes e Lacerda para prestigiar o pai.

Agradeço a minha querida irmã, Eunice Gonçalves, meu irmão José Gonçalves e minha irmã Maria José Gonçalves, que deixaram seus aconchegos em Rondonópolis para vir prestigiar esta solenidade.

Quero deixar registradas algumas abordagens que envolvem a nossa ciência contábil.

Abordagem Ética:

Segundo esta abordagem, a Contabilidade deveria apresentar-se como justa e não enviesada para todos os interessados, porém como afirma Hendriksen  é muito difícil definir, objetivamente, o que vem a ser “justo”, “verdadeiro”, ou “não enviesado”.

Para Iudícibus, a abordagem ética é muito enfatizada por alguns autores; todavia, por ser muito subjetiva, apresenta o perigo de, por comodismo, continuarmos aceitando, no estado em que se encontram os atuais princípios de Contabilidade, sem pesquisar as mudanças que poderiam ser adotadas.

Abordagem comportamental:

Muita pesquisa será necessária, ainda no campo da teoria da contabilidade, uma vez que essa abordagem atinge os campos da Psicologia, da Sociologia e da Economia. Hoje é dada ênfase à forma pela qual os relatórios são utilizados mais do que o desenvolvimento lógico dos demonstrativos.

 

 

Abordagem sociológica:

A Contabilidade, nesta abordagem, é julgada por seus efeitos no campo sociológico. É uma abordagem do tipo “bem-estar social”, no sentido de que os procedimentos contábeis e os relatórios emanados da Contabilidade deveriam atender a finalidades sociais mais amplas, inclusive relatar adequadamente ao público informações sobre a amplitude e a utilização dos poderes das grandes companhias.

A abordagem sistêmica:

Esta parece ser uma base profícua para a Contabilidade que, de fato, pode ser conceituada como o método de identificar, mensurar e comunicar informação econômica, financeira, física e social, a fim de permitir decisões e julgamentos adequados por parte dos usuários da informação.

Pois bem, o Profissional de Contabilidade dotado de conhecimentos e que consegue aplicar as tais abordagens mencionadas aqui, terá condições de participar de reuniões de grupos especializados para discussão e também fazer pesquisas sobre assuntos inerentes à contabilidade, quiçá artigos científicos.

FINALMENTE:

O termo Academia tem sua origem na Grécia, em torno do século III AC, quando Platão passou a reunir pensadores que discutiam questões filosóficas em um local chamado Jardins de Akademus (herói Ateniense). O grupo passou a ser conhecido por Akademia. Com o tempo, a reunião de pessoas especializadas em uma determinada área também passou a receber a mesma denominação. Mais tarde o termo passou a ser usado também para designar estabelecimentos de ensino superior e posteriormente escolas onde se ministram práticas desportivas, artísticas e outras. Sociedades de caráter científico, artístico ou literário também passaram a ser denominadas de academia, como nos apresenta  Paulo de Azeredo. Atualmente, quando nos referimos genericamente à ACADEMIA, estamos nos referindo ao sistema educacional e ao meio intelectual como um todo.

 

Deosdete Gonçalves da Silva, em 26/07/2019.